As 10 tendências tecnológicas para 2017 segundo o Gartner

Por TAKWEB Blog Nenhum comentário em As 10 tendências tecnológicas para 2017 segundo o Gartner

As 10 tendências tecnológicas para 2017 segundo o Gartner - Blog TAKWEB

O Gartner apresenta sua visão sobre quais serão as principais tendências tecnológicas estratégicas para a maioria das empresas em 2017. Segundo a consultoria, juntas essas tecnologias preparam o cenário para Malha Digital Inteligente. “As primeiras três incluem a ‘Inteligência em Todas as Partes’, como as tecnologias e abordagens científicas de dados estão evoluindo para incluírem o aprendizado avançado das máquinas e a inteligência artificial, permitindo a criação de inteligentes sistemas físicos e baseados em software que estão programados para aprenderem e se adaptarem. As próximas três tendências focam o mundo digital e na forma como os mundos físico e digital estão se tornando mais interligados. As últimas quatro tendências se focam na malha das plataformas e dos serviços necessários para entregar a malha digital inteligente”, disse David Cearley, vice-presidente da empresa.

Conceitualmente, a consultoria considera como tendência tudo o que tenha um potencial disruptivo importante e que apenas está começando a sair de um estado emergente para um impacto e um uso maiores ou que tenham rápido crescimento, com um alto grau de volatilidade, alcançando pontos cruciais nos próximos cinco anos.

As 10 principais tendências tecnológicas estratégicas para 2017 são:

AI e Aprendizagem Avançada da Máquina

Inteligência Artificial (AI) e Machine Learning (ML) estão compostos por muitas tecnologias e técnicas (ex.: aprendizado profundo, redes neurais,processamento de linguagem natural [NLP]). As técnicas avançadas cada vez mais ultrapassam os algoritmos tradicionais baseados em regras para criarem sistemas que entendam, aprendam,prevejam, adaptem e, possivelmente, operem de forma autônoma. Isso é o que faz as máquinas inteligentes parecerem “inteligentes”.

“A AI aplicada e a aprendizagem avançada da máquina fazem surgir um espectro de implementações inteligentes, incluindo dispositivos físicos (robôs, veículos autônomos, eletrônicos para o consumidor) assim como aplicativos e serviços (assistentes pessoais virtuais [VPAs], Smart Advisors)”, reforçou Cearley. “Essas implementações serão entregues como sendo uma nova classe de aplicativos e coisas obviamente inteligentes assim como entregarão uma inteligência incorporada para uma ampla variedade de dispositivos de malha e soluções existentes de software e serviços;

Aplicativos Inteligentes

Os aplicativos inteligentes como os VPAs realizam algumas das funções que um assistente humano faria todos os dias tornar-se mais fácil (priorizar e-mails, por exemplo),e seus usuários mais eficazes (destacando o conteúdo e as interações mais importantes). Outros aplicativos inteligentes como os assistentes virtuais do cliente (VCAs) são mais especializados para realizar tarefas em áreas como vendas e serviço ao cliente. Como tais, estes aplicativos têm o potencial de transformar a natureza do trabalho e a estrutura do local de trabalho.

“Nos próximos 10 anos, cada aplicativo virtual, aplicativo e serviço vai incorporar algum nível de AI”, afirmou Cearley. “Isso formará uma tendência de longo prazo que irá se desenvolver continuamente e aumentar o número de aplicativos de AI e a aprendizagem de máquinas para aplicativos e serviços”.

Coisas Inteligentes

As coisas inteligentes se referem às coisas físicas que vão além da execução de modelos de programação rígidos para explorarem a AI aplicada e a aprendizagem de máquinas para comportamentos mais sofisticados e interação com mais naturalidade no ambiente que os cerca e com as pessoas. Enquanto coisas inteligentes, como drones, veículos autônomos e aparelhos inteligentes, permeiam o ambiente, o Gartner antecipa uma mudança das coisas inteligentes autônomas para um modelo colaborativo da inteligência das coisas.

Realidade Virtual e Aumentada

As tecnologias absorventes, como a realidade virtual (VR) e realidade aumentada (AR), transformam a forma como os indivíduos interagem uns com os outros e com os sistemas de software. “O cenário do consumidor imersivo e do conteúdo comercial e dos aplicativos irá evoluir dramaticamente ao longo de 2021”, comentou o vice-presidente do Gartner. “As capacidades da VR e da AR irão se unir à malha digital para formarem um sistema mais contínuo de aparelhos capazes de orquestrar um fluxo de informação que vem ao usuário com aplicativos e serviços hiper personalizados e relevantes. A integração da Internet das Coisas (IoT) móvel e prática e os ambientes ricos em sensores irão estender os aplicativos imersivos além das experiências isoladas e únicas. Os dormitórios e os espaços se tornarão ativos com coisas, e sua conexão por meio da malha irá aparecer e trabalhar em conjunto com os mundos virtuais imersivos”;

Gêmeo Digital

Um gêmeo digital é um modelo dinâmico de software de uma coisa física ou sistema que se encontra em dados de sensores para entender o seu estado, responde a mudanças, melhora as operações e agrega valor. Os gêmeos digitais incluem uma combinação de metadados (por exemplo: classificação, composição e estrutura), condições ou estado (por exemplo: local e temperatura), dados sobre o evento (por exemplo: série cronológica) e a análise (por exemplo: algoritmos e regras).

Dentro de três a cinco anos, centenas de milhões de coisas irão ser representadas por gêmeos digitais. As empresas irão usar gêmeos digitais para reparar, de forma proativa, e planejar o serviço do equipamento, para planejar os processos de fabricação, operar fábricas, prever a falha de equipamentos ou aumentar a eficiência operacional, e realizar um desenvolvimento melhor de produtos. Como tal, os gêmeos digitais irão eventualmente se tornar representantes da combinação entre indivíduos qualificados e aparelhos e controles de monitoramento tradicionais (por exemplo: medidores de pressão, válvulas de pressão).

Blockchain e Registros Distribuídos

Blockchain é um tipo de registro distribuído no qual as transações de troca de valores (em Bitcoin ou outras moedas) são sequencialmente agrupadas em blocos. Cada bloco está preso ao bloco anterior e registrado numa rede peer-to- peer, usando um truste criptográfico e mecanismos de segurança. Os conceitos de Blockchain e registros distribuídos estão ganhando força, pois prometem transformar os modelos operacionais da indústria. Enquanto que o uso mais frequente se encontra na indústria de serviços financeiros, existem muitos possíveis aplicativos incluindo a distribuição de músicas, verificação de identidade, registro de títulos e cadeia de fornecimento.

“Os registros distribuídos são potencialmente transformativos, porém, a maior parte das iniciativas ainda está na fase de testes alfa ou beta”, ressaltou Cearley.

Sistemas Conversacionais

O foco atual para interfaces conversacionais está voltado para chatbots e para aparelhos habilitados por microfones (ex.: alto-falantes, smartphones, tablets, PCs, automóveis). No entanto, a malha digital abrange um conjunto cada vez maior de pontos que as pessoas usam para acessar aplicativos e informações, ou interage com pessoas, comunidades sociais, governos e negócios. A malha de aparelhos se move além do desktop tradicional e dos dispositivos móveis para abranger a ampla variedade de pontos de contato com os quais os humanos possam interagir. A medida que a malha do dispositivo se desenvolve, os modelos de conexão irão se expandindo e surgirá uma maior interação cooperativa entre os dispositivos, criando a base para uma nova experiência digital contínua e real.

Aplicativo de Malha e Arquitetura de Serviços

No aplicativo de malha e na arquitetura de serviços (MASA), os aplicativos móveis, os aplicativos para a web, os aplicativos para desktop e os aplicativos para a IoT se conectam a uma malha ampla de serviços de retaguarda para criarem o que os usuários enxergam como um “aplicativo". A arquitetura encapsula os serviços e expõe APIs em vários níveis e ao longo das barreiras organizacionais, equilibrando a demanda por agilidade e aumento de serviços com uma composição e reuso de serviços. A MASA permite que os usuários tenham uma solução otimizada para os endpoints alvo na malha digital (ex.: desktop, smartphones, carros) assim como uma experiência contínua a medida que eles transitam nesses diferentes canais.

Plataformas de Tecnologia Digital

As plataformas digitais de tecnologia fornecem os alicerces básicos para um negócio digital e são um facilitador importante para a criação de um negócio digital. O Gartner identificou os cinco pontos principais que permitem as novas capacidades e os modelos comerciais do negócio digital — sistemas de informação, experiência do cliente, análise e inteligência, a IoT e os ecossistemas comerciais. Cada empresa terá uma mescla dessas cinco plataformas de tecnologia digital. As plataformas fornecem os alicerces básicos para um negócio digital e são um facilitador importante para a criação de um negócio digital.

Arquitetura de Segurança Adaptável

A malha inteligente digital e as plataformas de tecnologia digitais inteligentes relacionadas e as arquiteturas do aplicativo criam um mundo cada vez mais complexo para a segurança.

“As tecnologias estabelecidas de segurança devem ser usadas como base para a segurança das plataformas da Internet das Coisas”, observou Cearley. “O usuário do monitoramento e o comportamento da entidade são uma adição crítica particularmente necessária nos cenários da IoT. No entanto, a vantagem da IoT é ter uma nova fronteira para muitos profissionais de segurança em TI criando novas áreas de vulnerabilidade e, normalmente, requerendo novas ferramentas e processos de correção que devem ser levados em conta nosesforços da plataforma da IoT”;.

Fonte: Spread.com.br

  • Compartilhar